O  design brasileiro é um dos mais consagrados do mundo. Diversos designers representam a criatividade  do país, através de prêmios internacionais.

No início da década de 50, a criação de peças do mobiliário se tornaram tão expressivas, que são objetos de desejo e verdadeiras raridades até hoje.  Muitas dessas peças marcantes fazem,inclusive parte da história do Brasil. Conheça alguns desses gênios do design brasileiro:

Joaquim Tenreiro e sua icônica Cadeira de Três Pés

Tenreiro nasceu em Portugal e se mudou para o Rio de Janeiro na década de 1920. Ele criou peças de mobiliário, que misturam a estética modernista europeia com características mais rústicas e esculturais do Brasil.

Criou obras com estética orgânica, como  aparadores elegantes no estilo europeu e sua cadeira de balanço de 1940 ( feita de rotim e jacarandá ),  que atualmente está exposta na galeria Mercado Moderno, no Rio. Tenreiro criou também várias peças em homenagem ao arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer.

Grande conhecedor de madeiras, Joaquim Tenreiro foi pioneiro do mobiliário moderno no Brasil, nos anos 1950 e criador de peças artesanais a partir dos 1970. Ao valorizar a madeira nativa, criou mobiliário mais rústicos, com toras brutas, e móveis mais clássicos, de linhas puras e elegantes. De aparência leve e luminosa, sua icônica Cadeira de Três Pés tornou-se cobiçada no mercado internacional. Com cinco tipos de tons, seu design alia simplicidade e requinte ao mesmo tempo.

Paulo Mendes da Rocha  e sua Cadeira Paulistano

Criada em 1957, pelo arquiteto e urbanista Paulo Mendes da Rocha, a Cadeira Paulistano é uma das mais importantes peças do design brasileiro. Ela foi projetada inicialmente para fazer parte do mobiliário do Ginásio do Clube Atlético Paulistano e acabou encantando o mercado nacional e internacional.

Seu design simples e elegante está em uma estrutura de inox com assento em couro. Em 2006, Paulo Mendes recebeu o mais importante prêmio da arquitetura mundial: o Prêmio Pritzker e em 2009, a cadeira paulistano ganhou fama internacional e hoje é encontrada no acervo do Museu de Arte Moderna de Nova York.

Poltrona Mole de Sérgio Rodrigues

Também de 1957, a criação de Sérgio Rodrigues é um dos maiores ícones do mobiliário brasileiro e peça desejada até hoje pelos amantes da decoração.

A Poltrona Mole foi pensada como uma peça do mobiliário que fosse confortável e que valorizasse a irreverência da cultura brasileira.  

No início, a poltrona não foi muito bem recebida. Porém, um dia, a diretora do Museu de Arte Moderna do Rio à época, a tirou do fundo de uma loja, para ser colocada no MAM, ao lado de peças da Bauhaus. O sucesso foi tanto, que a poltrona faz parte do acervo permanente do MoMA, em Nova York e no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo.

Irmãos Campana

Humberto e Fernando Campana são irmãos conhecidos no mundo todo por suas peças de mobiliário ligadas ao cotidiano, e que se utilizam de materiais inusitados, como: plástico bolha, bichos de pelúcia e cordas. Suas peças dão prioridade à forma – e não à funcionalidade.

Em 1989, a dupla apresentou em sua primeira exposição em São Paulo, sofás e cadeiras feitas de chapas de ferro. Atualmente, suas obras estão espalhadas por museus internacionais. Peças da coleção Hibridismo, de 2017, estão em exposição na Galeria Friedman Benda, em Nova York, incluindo o banco Noah, cujo estofado verde é apoiado por uma matilha de cachorros de alumínio.

Zanini de Zanine

Zanini é um designer carioca, que faz parte do atual  circuito brasileiro. Seu trabalho teve grande influência do pai (o arquiteto, paisagista e escultor José Zanine Caldas) e também de grandes mestres do design durante a sua infância. Em 2003, começou a produzir mobiliário, com madeira maciça e peças de demolição, batizados como Carpintaria Contemporânea.

Estagiou com Sérgio Rodrigues e em 2005, criou uma linha de móveis autorais, com peças industriais, madeira plástico, metais, metacrilato e outros produtos industrializados. Em 2011 criou o Studio Zanini.

Recebeu os mais importantes prêmios de Design do Brasil e internacionais. E hoje assina peças para grandes marcas como a francesa Tolix, as italianas Cappellini, Slamp e Poltrona Frau, e a americana Espasso. Foi nomeado Designer do Ano pela Maison & Objet Americas 2015.